Sólida infra-estrutura e advogados
            especializados na área previdenciária.

Lesões da Voz e o INSS
O assunto hoje interessa a todos os professores, locutores, telefonistas, vendedores... Enfim, todas as pessoas que fazem da voz a sua ferramenta de trabalho.
Saiba +
Artigos

Aposentadoria Política
Publicado no Jornal Comércio da Franca do dia 01/12/2013, Seção Opinião e Debates, pág. 02 (disponível também em http://www.gcn.net.br/jornal/index.php?codigo=233177)
Escrito por: Tiago Faggioni Bachur. Advogado e professor especialista em Direito Previdenciário



uito se discute sobre o destino do deputado José Genoíno, um dos condenados no esquema do ‘mensalão’. Diz-se inválido e, por isso, quer cumprir a pena em sua residência e aposentar-se por invalidez.


Contudo, laudo elaborado por junta médica diz que a doença não é grave e que, sim, pode cumprir pena na prisão, com devidos cuidados. Isso é obstáculo na concessão de aposentadoria por invalidez que ele pretende.

Como funciona a aposentadoria de deputados? As regras foram alteradas em 1997. Antes, podiam se aposentar com apenas 8 anos de mandato.

Com a extinção do Instituto de Previdência dos Congressistas, isso mudou. O PSSC (Plano de Seguridade Social dos Congressistas) criado pela Lei 9.506/97, é semelhante às regras do servidor público federal e, para recebimento integral de proventos exige 35 anos de contribuição e 60 anos de idade, sem distinção entre homens e mulheres.

Os proventos pagos a deputados na 54ª Legislatura chegam a R$ 26.723,13.

É possível aposentar proporcionalmente ao tempo de mandato.

Nesse caso, os proventos são calculados à razão de 1/35 (um trinta e cinco avos) por ano de mandato, mas é obrigatório ter 35 anos de contribuição e 60 anos de idade.

Quando o deputado é aposentado em virtude de acidente, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, aposenta-se com valor integral.

O problema de saúde alegado por Genoíno, caso comprovado, permitiria que se aposentasse desta forma.

Assim, receberia R$ 26,7 mil e se livraria da cassação, podendo ser usado tal argumento também para tentar cumprir a pena em casa, já que seria considerado inválido.

Caso isso não ocorra, voltará a receber a antiga aposentadoria proporcional de deputado, no valor de R$ 20 mil. No caso de Genoíno, que já estava aposentado, ao voltar a exercer legislatura, teve o benefício suspenso. Cumprirá, ainda, a pena estabelecido pelo STF.

Tiago Faggioni Bachur 
Advogado e Professor especialista em Direito Previdenciário





BACHUR & VIEIRA - advogados 





acesse: www.bachurevieira.com.br 
Escritório: Rua Couto Magalhães, 1846 e 1850 - CEP 14.400-020 - Fone (16) 3403.3468 e 3025-0503

 Franca/SP






Voltar


Rua Couto Magalhães, nº 1846 e nº 1850
Centro - Franca/SP - CEP 14400-020
Fone (16) 3403-3468 - 3025-0503

Todos os direitos reservados
Desenvolvido por