Sólida infra-estrutura e advogados
            especializados na área previdenciária.

Lesões da Voz e o INSS
O assunto hoje interessa a todos os professores, locutores, telefonistas, vendedores... Enfim, todas as pessoas que fazem da voz a sua ferramenta de trabalho.
Saiba +
Artigos

Mais Difícil
Publicado no Jornal Comércio da Franca do dia 14/02/2014, seção Opinião, pág. 02 (disponível também em http://www.gcn.net.br/noticia/241357/opiniao/2014/02/mais-dificil)
Escrito por: Tiago Faggioni Bachur. Colaborou Fabrício Barcelos Vieira. Advogados e Professores especialistas em Direito Previdenciário



A concessão de benefícios do INSS, principalmente aposentadoria por invalidez e auxílio-doença, deve ficar mais difícil. A notícia foi divulgada no final de janeiro pelo governo. 
 
Dentre as desculpas, os aumentos com os gastos da Previdência Social em 2013. 
 
Pesaram as revisões do teto da Previdência e as de auxílio-doença e aposentadorias por invalidez determinadas pela Justiça, em razão de cálculos errados feitos pelo INSS. 
 
Dessa maneira, o governo vai apertar as regras de concessão, com ênfase em auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, cujas despesas atingiram R$ 65,4 bilhões em 2013. 
 
Se estava complicado afastar-se ou aposentar-se  por problema de saúde, ficará pior. Apesar que o leitor tenha uma base, cerca de 18% de todos os benefícios concedidos pelo INSS ,são por invalidez. 
 
O governo quer baixar ao nível do ele chama ‘aceitável’ — 10% —, tentando cortar em 40% o total desses benefícios até 2024, o que resultaria em economia de R$ 20 bilhões no último ano. 
 
Em uma década, estima-se economia de R$ 108 bilhões aos cofres públicos. 
 
Uma das medidas seria acompanhar aquele que está em gozo do benefício por incapacidade, verificando sua recuperação, ou tentar reabilitá-lo em nova atividade, se não puder trabalhar mais como antes. Certamente, perícia será mais rígida, e vai ‘entupir’ a Justiça com mais ações contra o INSS — gerando mais gastos ao governo. 
 
A postura do governo deve ser repensada. Se as pessoas estão adoecendo ou ficando inválidas com mais frequência alguma coisa está errada. 
 
Será que as pessoas estão tendo qualidade de vida e tratamento adequado de saúde? 
 
Ao que parece, endurecer na concessão de benefícios pode resolver gastos previdenciários, mas causará problemas sociais se causas essenciais e estruturais do país (como saúde e educação) não forem melhoradas. (fonte: www.bachurevieira.com.br)
 
Tiago Faggioni Bachur
Colaborou Fabrício Barcelos Vieira, advogados especializados em Direito Previdenciário







BACHUR & VIEIRA - advogados 





acesse: www.bachurevieira.com.br 
Escritório: Rua Couto Magalhães, 1846 e 1850 - CEP 14.400-020 - Fone (16) 3403.3468 e 3025-0503

 Franca/SP





Mantenha-se informado em tudo o que acontece na área previdenciária. Acesse www.bachurevieira.com.br.
Notícias previdenciárias atualizadas diariamente!






Voltar


Rua Couto Magalhães, nº 1846 e nº 1850
Centro - Franca/SP - CEP 14400-020
Fone (16) 3403-3468 - 3025-0503

Todos os direitos reservados
Desenvolvido por