Sólida infra-estrutura e advogados
            especializados na área previdenciária.

Lesões da Voz e o INSS
O assunto hoje interessa a todos os professores, locutores, telefonistas, vendedores... Enfim, todas as pessoas que fazem da voz a sua ferramenta de trabalho.
Saiba +
Artigos

Reforma Previdenciária
Publicado no Jornal Comércio da Franca do dia 09/01/2015, Seção Opinião e Debates, pág. 02 (disponível também em http://gcn.net.br/noticia/275150/opiniao/2015/01/reforma-previdenciaria)
Escrito por: Tiago Faggioni Bachur. Colaboração de Fabrício Barcelos Vieira. Advogados e professores especialistas em Direito Previdenciário



Tem gente que não percebeu, mas a Reforma Previdenciária já está acontecendo. 

Engana-se quem pensa que viria de uma vez só, em uma única lei. Vem à conta-gotas pelo Legislativo, Executivo e Judiciário. 

Em que pese o reconhecimento de direitos — a exemplo de alterações do salário maternidade em 2013 (possibilitando inclusive o homem de recebê-lo) —, as reformas de 2014 retiraram benefícios dos trabalhadores.
 
No início de dezembro, o STF modificou entendimento adotado pela maioria dos juízes no tocante a aposentadoria especial. 

Antes, para segurado que trabalhou em atividade insalubre, pouco importava se usava ou não EPI (Equipamento de Proteção Individual), bastava a existência de agentes nocivos (produtos químicos, calor, umidade, material biológico etc). No dia 04/12/2014, o STF determinou que se houvesse EPI eficaz, o tempo especial não seria mais considerado; e que os juízes deveriam seguir tal posição (veja em http://gcn.net.br/noticia/272960/opiniao/2014/12/aposentadoria-especial).
 
No dia 30/12/2014, a Presidenta da República editou Medida Provisória que será apreciada em breve pelo Congresso, prejudicando quem tem direito de receber auxílio-doença, aposentadoria por invalidez e auxílio-reclusão. 

As alterações são polêmicas. 

Entre as justificativas apontadas para o ‘corte’ está dizer que em países de primeiro mundo, o sistema previdenciário não é tão benevolente como o nosso. 

Realmente.

Talvez lá, a infra-estrutura disponível torne desnecessário ter preocupação com velhice, a viuvez ou doença. Talvez lá idosos e doentes tenham melhores condições de vida e não necessitam tanto da Previdência. 

Felizmente, essas últimas alterações ainda não foram sacramentadas. Cabe a população exigir de seus representantes outras alternativas para a contenção de gastos (como a diminuição da corrupção!) e não apenar trabalhadores que contribuem a vida inteira para o crescimento do país.

---------
 
Tiago Faggioni Bachur
Colaborou Fabrício Barcelos Vieira, advogados especialistas em Direito Previdenciário

-----------------

EM BREVE - os textos publicados no JORNAL COMÉRCIO DA FRANCA em um livro:




Acompanhe nossos informativos e Aguarde!!!

Logo, mais novidades...



BACHUR & VIEIRA - advogados


acesse: www.bachurevieira.com.br
Escritório: Rua Couto Magalhães, 1846 e 1850 - CEP 14.400-020 - Fone (16) 3403.3468 e 3025-0503 - Franca/SP


Mantenha-se informado em tudo o que acontece na área previdenciária. Acesse www.bachurevieira.com.br.
Notícias previdenciárias atualizadas diariamente





Voltar


Rua Couto Magalhães, nº 1846 e nº 1850
Centro - Franca/SP - CEP 14400-020
Fone (16) 3403-3468 - 3025-0503

Todos os direitos reservados
Desenvolvido por